Transformação Digital: apoiando-se no ombro de gigantes como Thomas Edison para fazer a sua

Quando comecei na OLX – 6 anos atrás – uma das perguntas que mais me faziam era quando vamos inovar? A empresa havia crescido muito no Brasil, era uma marca conhecida e já ajudava dezenas de milhões de brasileiros.  Entretanto, enfrentava um inimigo terrível: sua incapacidade de inovar em tecnologia. Ao longo de minha jornadaContinuar lendo “Transformação Digital: apoiando-se no ombro de gigantes como Thomas Edison para fazer a sua”

Senioridade: o papel das horas de voo e do upgrade pessoal no crescimento de um time de tecnologia

Para começar a cumprir a promessa feita em meu artigo sobre como construir times de engenharia de forma sustentável, quero falar sobre um assunto muito importante e que gera controvérsia — a métrica de maturidade do time. Como comentei em meu artigo anterior, essa métrica é composta basicamente de 2 fatores: a senioridade das pessoas do timeContinuar lendo “Senioridade: o papel das horas de voo e do upgrade pessoal no crescimento de um time de tecnologia”

Generalista ou Especialista — bem vindo ao modelo PaintDrip

Antes de começar a cumprir com a promessa feita no último artigo sobre como escalar times de engenharia de forma sustentável e explicar em mais detalhes como trabalhar a maturidade do time e a métrica de qualidade queria atender a uma sugestão do Felipe Teixeira e falar um pouco sobre uma discussão antiga — e muito importante — sobre a opção deContinuar lendo “Generalista ou Especialista — bem vindo ao modelo PaintDrip”

Escalando um time de engenharia de software de forma sustentável

Desde que me tornei advisor de startups tenho conversado com muitas pessoas que precisam formar ou estão formando equipes de engenharia. Umas das perguntas que mais me fazem é: como escalar os times? Montar o primeiro time parece um pouco mais fácil. Separar a equipe em dois times — ou squads — ainda é tranquilo. MasContinuar lendo “Escalando um time de engenharia de software de forma sustentável”